#gruemenu.grue

MarchaEMEF 031220142Através da informação distribuída aos trabalhadores da EMEF, ficou a saber-se que está a ser concretizado as medidas de desmembramento da empresa, como vinham a ser anunciadas.

Esta é uma medida para servir apenas os interesses da MEDWAY/MSC e assim é entregue a esta empresa, que ficou com a CP Carga, a capacidade de fazer a manutenção do seu material circulante (instalações e trabalhadores).

Tal como defendemos há muito, com o retorno da EMEF à CP, não haveria agora as justificações para estas medidas, porque as imposições do Tribunal de Contas ficariam ultrapassadas.

O governo do PS não tem uma política para o sector ferroviário que não seja o do desmembramento e da futura privatização, porque se assim não fosse, teria já desencadeado as medidas para dar resposta aos problemas de agora e implementado as medidas que defendessem a CP e os interesses nacionais perante a medidas de liberalização previstas no quarto pacote ferroviário.

O SNTSF, sindicato da FECTRANS/CGTP-IN na empresa, denunciou a ilegalidade do processo por ter sido afastado de qualquer auscultação e negociação, das condições de transmissão dos trabalhadores conforme determina o Código do Trabalho.

Comunicado SNTSF 027/2018

Tradução

ptenfrdeitrues

4º Congresso

LOGO 4 CONGRESSO FECTRANS

IPTRANS

Protocolo

Visitantes

Temos 86 visitantes e 0 membros em linha