MarchaEMEF 031220142Na reunião de negociação de hoje com a EMEF, na qual participou a Drª Isabel Ribeiro da administração da CP/EMEF, foi feito um debate sobre este processo negocial e como ele deve estar inserido na nova estratégia anunciada para o grupo CP.

Entendemos que não pode haver desenvolvimento da CP/EMEF sem uma aposta profunda nos seus trabalhadores, de modo a elevar os níveis de especialização, que só se consegue com a fixação dos trabalhadores.

Logo este processo negocial não pode ser visto sob o olhar restritivo do Ministério das Finanças, mas sim à luz das medidas anunciadas pelo Ministério do Tutela, que coloca grandes desafios à EMEF e que só são possíveis atingir com um conjunto de trabalhadores motivados e empenhados.

Para que isso seja possível, é necessário melhorar os salários de todos de modo criar as condições de fixação dos trabalhado, e melhorar as carreiras profissionais para abrir pespectivas de evolução e valorização dos actuais e futuros trabalhadores.

Esta foi a posição do SNTSF/FECTRANS e de um modo geral de todas as organizações presentes, pelo esperamos que seja refletida pelos novos administradores, de modo a que na próxima reunião de dia 30 de Agosto, hajam propostas de negociação que vão ao encontro das aspirações e expectativas dos trabalhadores da EMEF.

Tradução

ptenfrdeitrues

4º Congresso

IPTRANS

Protocolo

Visitantes

Temos 114 visitantes e 0 membros em linha