ReuniaoAs organizações sindicais abaixo indicadas, reunidas no dia 07/11/2019, para analisarem o processo de negociação na CP, concluíram que:

É inaceitável a morosidade do actual processo negocial e o retrocesso de matérias já acordas;

É insuficiente o valor apresentado para a actualização das diversas rubricas pecuniárias e inaceitável que não seja comtemplado qualquer aumento da tabela salarial no imediato;

Não é aceitável que cláusulas comuns a diversas categorias profissionais tenham valores diferentes, ou que haja redução de valores hoje praticados;

Este processo negocial deve ter em conta as medidas anunciadas de integração da EMEF na CP e deve dar resposta a realidades diferentes, de modo a que não tenhamos diferenças entre trabalhadores naquilo que é comum;

É necessário que haja uma evolução rápida do processo de negociação do AE – Acordo de Empresa, para se passar à discussão da valorização das profissões, através da negociação do RC – Regulamento de Carreiras e será no conjunto do resultado da negociação destes dois instrumentos de regulamentação colectiva, que se fará a avaliação global da negociação;

Na defesa destas posições comuns, decide-se:

Entregar na próxima reunião de negociação – dia 12 de Novembro – uma declaração comum sobre a negociação e os seus conteúdos;

Começar a equacionar diversas acções de mobilização e luta dos trabalhadores, caso na reunião de dia 12 de Novembro, não existam respostas positivas às questões que irão ser colocadas, ou que o sentido das posições do governo/administração da CP, seja o das últimas reuniões.

Lisboa, 07 de Novembro de 2019

FECTRANS * SNTSF * ASCEF * SINFA * SINFB * SINAFE * STF * SIOFA * FENTCOP * SNAQ * USI * SIFA * ASSIFECO

Tradução

ptenfrdeitrues

4º Congresso

Visitantes

Temos 98 visitantes e 0 membros em linha

Protocolo

Informação email

Agenda

No mês passado novembro 2019 Próximo mês
D Sb
week 44 1 2
week 45 3 4 5 6 7 8 9
week 46 10 11 12 13 14 15 16
week 47 17 18 19 20 21 22 23
week 48 24 25 26 27 28 29 30

Ponto Seguro

Guia da parentalidade