TerminalBarreiro15Maio2019Os acontecimentos recentes na CP/EMEF e na SOFLUSA colocam novamente na ordem do dia, os problemas estruturais destas empresas que resultam, em grande parte na falta de trabalhadores, situação há muito identificada por nós, mas sem solução política por parte do governo.

Ao contrário do que a administração da SOFLUSA afirma, o único constrangimento laboral que existe é a falta de trabalhadores.

Também na CP e na EMEF faltam trabalhadores, que tem como consequência a falta de material circulante ou a falta de trabalhadores para guarnecer os comboios.

Bem pode o governo apregoar a redução do défice, se depois os portugueses não têm acesso ao serviço público de transportes! Será que querem criar as condições para justificar a retomada dos projectos privatizadores destas empresas, de modo a que sejam socializados os custos e privatizados os resultados positivos?

Se este problema não tiver solução rápida, à medida que vamos entrando pelo verão, a situação agravar-se-á.

No passado dia 11 de Abril, num documento entregue ao primeiro-ministro, mais uma vez, colocámos a necessidade de admissão de trabalhadores nas empresas públicas de transportes.

Tradução

ptenfrdeitrues

4º Congresso

IPTRANS

Protocolo

Visitantes

Temos 376 visitantes e 0 membros em linha