ManifCP CargaLutámos contra a privatização da CP-Carga e fizemo-lo com a convicção que, caso houvesse coragem política do actual Ministro do Planeamento e Infraestrututas, seria um objectivo que estava ao nosso alcance, mas este Ministro optou por defraudar as expectativas dos trabalhadores e o sentido do seu voto nas últimas eleições, de que resultou uma maioria parlamentar que afastou a direita e permitiu a constituição de um governo do PS.

É no contexto desta luta que se decidiu a realização de um dia de luta no próximo dia 28, na forma de um cordão humano e de uma greve na empresa, numa luta que, quando foi marcada, tinha por objectivo uma derradeira pressão junto da Tutela, para sentir o apoio para não ceder aos interesses de quem quer o caminjo de ferro destruído.

O Ministro cedeu no sentido contrário dos interesses da ferrovia e do País, pelo que desde o passado dia 20, mudou-se o estatuto jurídico da CP-Carga que agora é uma empresa privada.

Nesse sentido mudou-se o contexto em que fora marcada a luta, embora não se tenha alterado as razões do nosso protesto e, por isso, porque o conflito laboral ainda não é com o actual patrão, decidiu-se suspender a greve, mantendo, no entanto, a acção de protesto na forma de cordão humano.

Comunicado SNTSF

Tradução

ptenfrdeitrues

Na Estrada da Luta

Boletim Na Estrada da Luta Numero 02 de Maio de 2019

4º Congresso

IPTRANS

Protocolo

Visitantes

Temos 146 visitantes e 0 membros em linha